Internet Wi-Fi vs Li-Fi: conheça diferenças e semelhanças entre conexões

Li-Fi é uma tecnologia de transmissão de Internet por meio da luz, que, embora tenha diferenças, pode ser confundida com o popular Wi-Fi. A novidade deve promover avanços significativos em termos de velocidade de rede e segurança de navegação. Depois dos primeiros testes, que apontam conexão até 100 vezes mais rápida do que o Wi-Fi, novos produtos começam a despontar no mercado, como a lâmpada da Philips que transmite dados por iluminação.

Vale lembrar, porém, que o avanço da tecnologia não deve significar a morte do Wi-Fi – a conhecida conexão sem fio ainda oferece vantagens importantes. Por isso, o TechTudo traz um comparativo entre as duas formas de transmissão de dados. Conheça as semelhanças e diferenças do Li-Fi e do Wi-Fi.

Wi-Fi e Li-Fi: semelhanças e diferenças

As duas tecnologias são métodos de transmissão de dados por redes sem fio. A grande diferença está no fato de que o Wi-Fi opera em frequências de rádio, ou seja, transmite informações de forma análoga ao que rádios e TVs fazem há décadas.

O Li-Fi também é um meio de comunicação por rede sem fio, mas sem o uso de ondas de rádio. Essa tecnologia usa luz visível (além de ultravioleta e infravermelho) para enviar e receber informações em um mesmo ambiente.

Enquanto o Wi-Fi troca dados por meio de dispositivos e roteadores em um mesmo ambiente de rede, o Li-Fi estipula o uso de LEDs capazes não apenas de iluminar um espaço físico, mas também de transmitir informações piscando.

 

Li-Fi e suas vantagens

 

As grandes vantagens do Li-Fi estão relacionadas com a possibilidade de operar com taxas de transferências bem mais altas. Outro ponto positivo é a robustez do sinal de comunicação que não sofre interferência, ao contrário do Wi-Fi que pode ser perturbado em ambientes de altos níveis de radiação eletromagnética.

Isso significa que redes Li-Fi podem ser ideais para usos em hospitais, aviões e outros ambientes em que radição eletromagnética está presente. Outro aspecto apontado como relevante para o Li-Fi está no potencial de segurança, já que, diferente do Wi-Fi, essas redes dificultam a invasão de hackers.

Mais uma vantagem decisiva do Li-Fi, ao menos de acordo com estudos preliminares, está no potencial de velocidades muito mais altas do que a melhor das redes Wi-Fi. Há registros de alcance de 224 Gb/s (gigabits por segundo), enquanto os roteadores Wi-Fi estacionam nos 1.200 Mb/s – e apresentam enorme dificuldade para chegar nesse número.

Wi-Fi e suas vantagens

Pode parecer, então, que a tecnologia Wi-Fi está em vias de aposentadoria, dadas as vantagens do Li-Fi. Entretanto, esse não deve ser o caso: há vantagens no sistema de transmissão via rádio que podem compensar as falhas e limitações da rede via luz.

A primeira e mais óbvia delas é que o sinal Wi-Fi pode atravessar paredes, ou seja, atinge áreas maiores. Redes Li-Fi não têm essa capacidade, embora cientistas afirmem que o sinal pode refletir em superfícies especiais para cobrir uma residência, por exemplo. Entretanto, isso ocorreria com alguma perda de velocidade.

Outra vantagem do Wi-Fi está no fato de não precisar de luz visível. Isso porque é necessário deixar as lâmpadas ligadas o tempo todo para o Li-Fi funcionar – mesmo que a iluminação fique fraca.

Além de tudo isso, o Li-Fi tem limitações em termos de área de cobertura – você não vai conseguir conectar uma residência toda com apenas uma lâmpada compatível. Além disso, o preço também deve ser um impeditivo. Em desenvolvimento, a tecnologia está longe de ter custos de pesquisa diminuídos pela alta escala de produção, que já é realidade em sistemas Wi-Fi há mais de uma década.

Fonte: techtudo